Projeto |

O projeto representa uma rotura radical ao conceito tradicional de um memorial, em parte porque não se usou nenhum simbolismo ao estereótipo de um memorial.

Todos os elementos desta composição são ordenados e geometricamente predispostos. Enquanto ao mesmo tempo, a pedra, sua cor e a septicidade do material cria uma sensação de vazio.

Este “Memorial ” é composto por 31 blocos de pedra que medem entre 0,30 e 2,40 metros de altura e estão implantados em uma área de 4,5m2

A ideia parte da desfragmentação de um cubo que representava um grupo de combatentes que partiram para a guerra, onde os elementos em falta deixam em aberto um vazio.

As diferentes alturas dos monólitos representam os altos e baixos sentimentais daqueles que regressaram imunes, daqueles que regressaram com mazelas, e os vazios representam as ausências dos combatentes que a sorte não devolveu as suas famílias estátua

A escolha da pedra da região de onde são oriundos os “ combatentes “ recai no sentimento de peso nas memórias a quem este memorial se refere.

Ficha Técnica |

Localização: Rua do Rossio, Almagreira, Pombal

Projeto: Agosto de 2016 – Outubro de 2016

Construção: Setembro de 2016 – Outubro de 2016

Cliente: Junta de Freguesia de Almagreira – Liga dos Combatentes

Área: 4.5m2

Equipa |

Arquitetos: Bruno Lucas Dias, Luís Ventura

Equipa de Projeto: Bruno Lucas Dias, Luís Ventura

Construtor: Magicube | Limpar Imagem

Fotografia: Hugo Santos Silva